Alemanha e o Destino, quem é o senhor?

TRENQUE-LAUQUEN
Hoje em dia a cidade cresceu.

​Há uns dez anos estava visitando a Argentina​. Fomos a então pequena cidade de Trenque Lauquen, zona rural com muitas fazendas, o lugar fica a uns 400 km de Buenos Aires. Não chovia e meu amigo, um holandês que já havia morado no Brasil, me levou para mostrar sua fazenda. Foi um passeio a cavalo delicioso, descobri que o terreno todo era muito arenoso e tinha que sempre estar coberto: girassol, milho, aveia, alfafa e soja se alternavam sempre.

No final do passeio o holandês me contou que o gado já estava sofrendo com a falta de água. Um pequeno açude ainda dava conta, mas era preciso racionar. Isso certamente prejudicaria a engorda. Virei pra ele e disse, vamos orar e pedir a Deus que chova, que ele mande chuvas para Trenque Lauquen.  Ele olhou para mim e disse com muita calma: “rezo para que não me falte saúde, força, inteligência, coragem para trabalhar e paz, o resto Deus sabe.”

Demorou cair a ficha, mas logo entendi. “Deus sabe onde tem ou não tem que chover” continuou “a chuva que para mim será boa pode destruir a lavoura de outro, diminuir a produção…”  É isso aí, nossa paga vem pelo trabalho, pelo nosso esforço. É como no futebol. Acabamos de ver isso nesta copa (2014 Brazil). Deus não toma partidos. Tem grama, luz, juiz e bandeirinhas para os dois times. Ganha quem jogar melhor!

Uma Alemanha organizada, coesa, treinada, com ritmo de jogo atropelou o time brasileiro. Faz tempo que vivemos da sorte, ou melhor da fatalidade alheia. Lembra do Baggio? “azar” dele/es, “sorte” nossa, não foi? E o Galvão gritando: “Buda contra Cristo” Ridículo. Mas é isso a gente cresce ouvindo besteiras e acaba acreditando que se tratam de fatos.

Não tem deus brasileiro, não tem sorte, não tem jeitinho. Precisamos entender isso. O que existe e dá certo é trabalho, fruto de trabalho e de suor. Isso se aplica a tudo em nossas vidas. Tem uma mentira aí que nos atrapalha: Tratamos Deus, o governo, o patrão, as pessoas em posição de autoridade como se fossemos mendigos que precisam de assistencialismo.

Chega de mendigar, esperar a sorte, vamos fazer acontecer!

Essa seleção da Alemanha vem jogando junto há mais seis anos, passaram muitas coisas. Foram derrotados, continuaram a treinar, lutar, trabalhar. O trabalho realizado garantiu agora a participação na final da Copa do Mundo da FIFA. Isso pode ser assim nas nossas vidas também. Chega de ficar esperando do céu, do governo, do patrão, de quem quer que seja! Vamos fazer acontecer. Isso é muito mais importante que a copa da Fifa.

Bom, a Copa ainda não acabou, domingo saberemos quem é o campeão, que vença o melhor. Mas é um jogo, tudo pode acontecer. Vou torcer pela America Latina, agora representada pela Argentina. Como disse Milton Neves, sitando Nelson Rodrigues, “O futebol é a coisa mais importante dentre as menos importantes”. Importante mesmo é que você seja senhor de seu destino, faça acontecer e no caminho vá se divertindo com o que for possível.

 

———————-

————–

visite:

Escola Bilíngue no Guarujá
Água – Purificadores

No Amazonas!

Amanhã a noite vou para Manaus, no estado de Amazonas, no Amazonas. Já estou arrebatado pelo sentimento de alegria de poder rever amigos, parceiros de negócios, jornalistas e todo o burburinho da feira.

 

A FIAM me proporciona tudo isso. Estar em Manaus é estar no centro do mundo. Em tempos de Facebook a sensação é mais ou menos como a de receber uma centena de likes em um  post qualquer que você tenha feito.

 

A região amazônica é foco da atenção do mundo inteiro. Tudo que acontece por lá repercute em toda parte. Nossa presidente esteve lá para inaugurar a nova ponte e garantir por mais 50 anos a existência da Zona Franca.

 

A presidente assinou Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prorroga por mais 50 anos a vigência da Zona Franca de Manaus, que deverá ser encaminhada à Câmara e ao Senado para aprovação…” (release completo)

 

A Ponte Rio Negro, que mede 3.595 metros e custou aproximadamente R$ 1 bilhão liga Manaus a Iranduba. Ela é considerada a maior ponte estaiada do Brasil, tem um trecho de 400 metros suspenso por cabos.

 

Eu a vi a distância quando estive em Manaus a alguns meses em uma semana de folga do trabalho. Agora vou ver de pertinho e trazer imagens e vídeos. Essa ponte vai facilitar a vida de milhares de pessoas e promover a integração da Região Metropolitana.

 

Manaus não pára. Ainda bem que junto com todo esse progresso cresce a consciência da necessidade de preservação e respeito à natureza. Na FIAM 2011 esse tema é recorrente, tanto nos estandes como no ciclo de seminários que ocorrerão durante todo o evento.

 

De acordo com a acessória de impressa os seminários mais concorridos foram “Desafios para um Amazonas sustentável: economia mais verde, limpa e inclusiva” (345 inscritos); “Turismo: fator de sustentabilidade em países-sede da Copa do Mundo de Futebol” (302 inscritos); “IV Encontro de Negócios de Aquicultura da Amazônia” (300 inscritos);…”

 

O Brasil sabe sim o que fazer com a Amazônia. Estamos nos preparando, somos capazes. O fato é que a região representa quase 60% do território brasileiro e não podemos deixar de lado a gerencia desta riqueza, pelo contrário.

 

Como você pode ver temas não vão faltar, entrevistas também não. Estou aceitando sugestões de tópicos e questões, ok?  

Image001